Enxaguantes bucais podem diminuir a carga viral do coronavírus, aponta pesquisa alemã

Alguns tipos de enxaguantes bucais podem ser eficazes em diminuir a carga viral do coronavírus. É o que aponta uma pesquisa realizada pela Universidade Ruhr-Bochum, da Alemanha, e publicada no The Journal of Infectious Diseases.

Na pesquisa, foram testados oito tipos de enxaguantes bucais, com diferentes compostos ativos, misturados com partículas virais durante 30 segundos, a fim de simular o efeito do gargarejo. A mistura foi aplicada às células do tipo Vero E6, receptivas ao novo coronavírus. 

Dos oito produtos testados, três deles reduziram significativamente a infecciosidade viral em até três ordens de magnitude. 

Vale ressaltar que os enxaguantes bucais não impedem a reprodução do vírus nas células, contudo, podem diminuir a carga viral a curto prazo. Sua eficiência está atrelada ao fato de as glândulas salivares serem os principais locais de reprodução e transmissão do vírus.

Na conclusão, o estudo afirma ter fornecido "evidências de que o Sars-CoV-2 pode ser eficientemente inativado por bochechos orais disponíveis comercialmente em curtos tempos de exposição de 30 segundos". 

A pesquisa é mais uma evidência da importância de se manter a higiene oral. A Rede IOA sabe muito bem disso, por isso investe intensivamente na qualificação dos profissionais de Odontologia em habilidades técnicas, mas também comportamentais, como comunicação com o paciente, para que lá na ponta consigam sensibilizar as pessoas sobre o tema e oferecer tratamentos que promovam a qualidade da saúde bucal de nossas comunidades.. 

Para conhecer os cursos de especialização oferecidos pela Rede IOA, clique aqui.

Comentários