“Uma mente moderna é mais importante que tecnologia moderna”



Em entrevista exclusiva para a Rede IOA, Christian Coachman comenta sobre o futuro da Odontologia, avalia o ensino dos dentistas no Brasil e dá conselhos para estudantes, recém formados e clínicos que desejam se manter relevantes no mercado

Christian Coachman, um dos speakers mais renomados da Rede IOA, comenta sobre o passado, o presente e o futuro da Odontologia nesta entrevista exclusiva.

Educador e empresário de sucesso, reconhecido mundialmente, Dr. Coachman é a sexta geração de dentistas da mais antiga família dedicada à Odontologia do planeta. São 170 anos de tradição, o que lhes garantiu uma citação no Guinness Book of Records.

Na entrevista, explica como ele percebe o futuro da Odontologia, fala sobre o processo de inserção e aceitação da tecnologia digital ao longo da sua história familiar, lista as competências dos dentistas do futuro, avalia a educação em Odontologia no Brasil e dá conselhos para estudantes, profissionais recém formados e dentistas veteranos que desejam se manter relevantes no mercado.


REDE IOA: O senhor não tem nenhum receio de afirmar que o futuro da Odontologia é digital. Mas o que isso quer dizer? O momento presente do ensino em Odontologia, principalmente no Brasil, é capaz de preparar os dentistas para esse futuro?

Christian Coachman: O futuro da Odontologia é digital pelo simples fato que, através de soluções digitais, vamos poder ser mais eficientes, previsíveis e iremos democratizar a qualidade. Soluções digitais vão ajudar em quase todos os processos dentro de uma clínica moderna. Gestão, Marketing, aquisição de novos pacientes, melhoria na experiência dos clientes antes, durante e após os tratamentos, melhoria no processo de diagnóstico através de inteligência artificial, melhoria nos sistemas de comunicação interdisciplinar, design do sorriso e planejamento integrado. Diminuição dos erros em procedimentos clínicos através da simulação dos mesmos antes da execução. Pacientes e equipes mais motivadas através de sistemas e processos mais atraentes... Enfim, uma série de benefícios óbvios que a tecnologia já está trazendo e que será fundamental para qualquer clínica que queira se manter relevante e bem sucedida num mercado cada vez mais competitivo.

Quanto à pergunta se o sistema acadêmico está preparado para formar jovens profissionais para este universo, minha resposta é não. Mas o problema não é falta de tecnologia ou conhecimento digital nas universidades, mas sim falta de metodologias didáticas que formem profissionais capazes de raciocinar e interpretar a informação. Vejo um excesso de preocupação de universidades em dizer que estão preparados para o mundo digital quando o problema da educação não é a falta de digital, mas sim a falta de qualidade didática para formação de profissionais modernos na sua forma de pensar, independentemente da tecnologia.  Os profissionais que irão usufruir do digital no futuro de maneira inteligente não são os profissionais que foram expostos ao digital na faculdade, mesmo porque as soluções digitais mudam muito e muito rápido a cada ano. Mas serão aqueles que aprenderam a pensar, priorizar, analisar, comparar, interpretar, diagnosticar, planejar, desenhar, comunicar etc…

Nosso sistema educacional, de maneira geral, é muito precário e ineficiente. Espero que, no futuro, mais instituições sérias foquem no desenvolvimento de metodologias didáticas humanas e inteligentes, que foquem na formação de seres humanos mais completos em vez de técnicos especialistas em algo supérfluo. A tecnologia e o digital são apenas ferramentas que só serão úteis quando nas mãos de profissionais preparados além da tecnologia.

Como eu gosto de dizer sempre: uma mente moderna é mais importante que tecnologia moderna.


REDE IOA: Com base no que observa lá fora, no exterior, dá para comparar os avanços brasileiros para de educar o dentista para o futuro em relação ao resto do mundo, principalmente EUA e Europa? Existem grandes diferenças nesses contextos?

Christian Coachman: Como mencionei acima, infelizmente o sistema de ensino no Brasil está muito aquém quando comparado aos EUA e Europa. O dentista brasileiro sai da faculdade muito mais despreparado do que os alunos no primeiro mundo. Por isso, vemos a proliferação de cursos de formação extra curricular aqui no Brasil. A maioria dos bons profissionais e professores não estão mais nas faculdades, infelizmente, devido ao engessamento burocrático e político que afasta os bons. Assim, os bons acabam montando cursos particulares - e esses, sim, são muito bons no Brasil. O aluno sai da faculdade sem saber muito, então aqueles que querem ser realmente bons têm que investir em diversos cursos extras e estágios para chegar lá. Nos EUA não existe isso. Todo grande professor tem orgulho de estar vinculado a uma faculdade e é valorizado por isso. 


REDE IOA: O dentista analógico consegue se adaptar para essa nova realidade digital? Como mudar o mindset depois de anos exercendo a profissão da mesma maneira?

Christian Coachman: O dentista na verdade não tem que mudar muita coisa. Os conhecimentos básicos de alta qualidade na Odontologia não mudaram - e a grande maioria dos processos digitais não deve ser executada pelo clínico. Quem tem que mudar não é o clínico, mas sim o dono de clínica. Implementar o digital é uma questão de sobrevivência do ponto de vista de gestão, eficiência e marketing. O clínico precisa simplesmente entender como delegar, interpretar a informação que o digital traz e executar os procedimentos guiados pelo digital. O importante é o clínico se associar a parceiros (empresas, laboratórios, centros de planejamento, centros de imagem etc) que executem o digital para a sua prática. Terceirização é o caminho. 


REDE IOA: Sua família é reconhecida mundialmente pela longa sucessão de dentistas, são mais de 170 anos de dentistas na família. Consegue observar esse movimento de mudança de paradigma na herança familiar?

Christian Coachman: Sim, temos uma tradição que nos orgulhamos muito dentro desta nossa profissão que amamos tanto. O pioneirismo e a busca do novo é uma marca registrada de todas as gerações, desde meu tetravô, que se tornou dentista em 1850, até hoje.

É interessante notar como o digital impactou nossas últimas gerações. Na época do meu avô, não havia digital; na do meu pai começou a existir, mas era ineficiente. Na minha época, se tornou interessante, mas ainda muito irrealista. Hoje em dia, finalmente, se tornou eficiente e realista - e, por isso, fundamental. 


REDE IOA: Quais acredita as principais habilidades do dentista do futuro?

Christian Coachman: A Odontologia hoje representa uma área profissional muito vasta, com diferentes "profissões"  dentro da profissão. Portanto, as habilidades necessárias para obter sucesso dependem de qual área estamos falando.

Podemos nos tornar Dentistas Pesquisadores, Dentistas Professores, Dentistas Gestores, Dentistas Inovadores e Dentistas Clínicos. 

Se estivermos falando do Dentista Clínico de sucesso no futuro, então as habilidades serão: 
- Conhecimento e experiência em Diagnóstico e Planejamento interdisciplinar;
- Habilidade manual (se trabalharmos com reabilitação do sorriso, então temos que adicionar habilidade artística)
- Experiência clínica;
- Habilidade psicológica e de comunicação com equipe e paciente;
- Postura e ética clínica;
- E, logicamente, saber como utilizar as ferramentas básicas digitais e interagir no universo digital.

Todas as habilidades acima mencionadas não fazem sentido se não estiverem sendo regidas por princípios éticos. Ética e cidadania não é uma qualidade, mas sim um dever, a base, o início de tudo. 


REDE IOA: Imagine três pessoas à sua frente: um estudante realizando sua matrícula na faculdade de odontologia; um jovem dentista, pegando seu diploma e registro profissional; e um dentista de meia idade, dono de uma clínica onde atende da mesma maneira há muitos anos, mas com a sensação de que estagnou na carreira e quer evoluir.

Que conselho daria para cada uma dessas pessoas?

Christian Coachman: Ao estudante, meu conselho é: aproveite a faculdade ao máximo no aspecto social. Estude sim, mas curta também. Faça bons relacionamentos com professores, deixe as portas abertas, pratique esportes e não se precipite em escolher uma especialidade. Permita-se explorar todas. 

Para o dentistas recém formados: ache um mentor, ache um estágio. Logicamente, temos que nos preocupar em ganhar algum dinheiro, mas não tome decisões por causa do dinheiro nesta primeira fase. Nos primeiros anos, é melhor ganhar pouco e aprender muito do que ganhar mais que os colegas e aprender pouco.

Para os veteranos: entenda que para obter sucesso hoje, como dono de clínica, temos que nos reinventar. Tudo que nos trouxe sucesso até ontem não garantirá sucesso amanhã. O papel de dono de clínica está mudando totalmente e, para que nossa clinica continuar com sucesso ou obter mais sucesso, temos que entender como o mercado está mudando, como os clientes estão mudando e como as soluções odontológicas estão mudando. Se não, nos tornamos obsoletos. 

Saiba mais sobre Christian Coachman

Um dos speakers mais renomados da Rede IOA, Christian Coachman formou-se em Prótese Dentária em 1995 e em Odontologia pela Universidade de São Paulo em 2002. É membro da Sociedade Brasileira de Odontologia Estética (SBOE), da Academia Européia de Odontologia Estética (EAED) e da Academia Americana de Odontologia Estética (AAED), sendo o único dentista a ser membro das três principais academias de estética do mundo.

Em 2004, o Dr Coachman foi convidado pelos Drs Goldstein, Gerber e Salama do Team Atlanta, para ocupar o cargo de Head Ceramist, posição que ele ocupou por quatro anos.

Dr Coachman trabalhou para diversas clínicas odontológicas reconhecidas ao redor do mundo, como Dr Van Dooren (Bélgica), Gurel (Turquia), Fradeani (Itália) Bichacho (Israel), Ricci (Itália) e Calamita (Brasil).

Desenvolveu técnicas que se tornaram referência no mundo todo como a técnica de prótese dento-gengival “Pink Hybrid Restoration”, os conceitos de planejamento e comunicação interdisciplinar Digital Smile Design (DSD), Odontologia Emocional, Digital Planning Center, Interdisciplinary Treatment Simulation e Digital Smile Donator.

Sócio-fundador e CEO da empresa DSD, dirige o programa DSD Residency com cursos de educação continuada para profissionais da Odontologia do mundo todo.

Em 2017 o Dr Christian Coachman tornou-se professor adjunto do Departamento de Odontologia Restauradora da University of Pennsylvania School of Dental Medicine e, em 2018, coordenador da Especialização de Odontologia Digital da Universidade UniAvan em Balneário Camboriú.

Também trabalha como consultor para empresas, laboratórios e clínicas odontológicas implementando conceitos, desenvolvendo produtos e estratégias de marketing, como o "Facially Driven Digital Orthodontic Workflow” desenvolvido em colaboração com a Invisalign, Align Technology.

Ministra cursos e palestras em todos os continentes cobrindo diversos tópicos como, Tendências e Inovação, Odontologia Estética Interdisciplinar Digital, Estratégias de Comunicação e Marketing na Odontologia.

Comentários