Saiba porque as redes educacionais de ensino superior devem ser sua aposta de investimento em meio à crise




As redes educacionais de ensino superior têm seguido na contramão da crise econômica brasileira e se destacado em meio ao período de recessão. Segundo a Associação Brasileira de Franchising (ABF), a área de educação faturou quase R$10 bilhões em 2018 - uma alta de 5,6% com relação ao ano anterior.

O fenômeno positivo pode ser explicado por diversos fatores, merecendo destaque a crise econômica que atinge o Brasil. Considerando a retração de 0,68% sofrida pela economia brasileira no primeiro trimestre de 2019, segundo o último balanço divulgado pelo Banco Central, é fato que os serviços educacionais são procurados com maior frequência por trabalhadores que sentem as consequências da recessão através do desemprego.

Só para se ter uma ideia, o Brasil bateu a marca de 13 milhões de desempregados em fevereiro deste ano (IBGE, 2019). Em outros números, são 892 mil pessoas desocupadas no país - o que significa um grande contingente de indivíduos que precisam buscar qualificação para conquistar vagas com alta concorrência no mercado de trabalho.

Nesse sentido, o alto nível de capacitação e o desenvolvimento de habilidades que diferenciem um candidato dos demais - características oferecidas pelas redes educacionais de ensino superior -  são indispensáveis para driblar a baixa oferta de empregos.

As novas tecnologias também contribuem de modo contínuo para a expansão das redes de ensino. Por meio delas, promove-se a difusão do conhecimento e da consequente necessidade de aprofundamento. Ademais, os métodos de ensino se atualizaram, com propostas dinâmicas e eficientes, aliando tecnologia e prática à teoria.

Um terceiro fator que ajuda a entender o crescimento das redes de ensino nos últimos anos é o aumento do índice de escolaridade no Brasil. Segundo dados oficiais do Governo, de 1990 a 2010, a média de anos de estudo no país praticamente dobrou, saltando de 4 para quase 8 anos por pessoa. Esta evolução na base escolar, aliada a uma série de políticas públicas implementadas no período, permitiram o ingresso de um grande contingente de estudantes nas universidades.

No Instituto Odontológico das Américas (IOA), a excelência na oferta de serviços educacionais é uma busca contínua. Nossas escolas contam com conceitos didáticos modernos, infraestrutura única e speakers do mais alto nível. São mais de 20 anos de experiência no mercado de ensino superior com o propósito de difundir a odontologia de alta performance.

Então, ficou interessado neste mercado e deseja ter sua própria instituição de ensino superior? Entre em contato com a Rede IOA!

Comentários